quarta-feira, 08 de julho de 2020

De acordo com o Boletim Diário sobre a Covid-19 divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde nesta quarta-feira (8), o Município de Iatí no Agreste do Estado, contabilizou 31 casos confirmados da COVID-19, desses, 19 estão em tratamento, nenhum óbito registrado e 12 (doze) casos recuperados. Em suas redes sociais o prefeito Tonho de Lula disse que o Município está fazendo a sua parte para combater o vírus, mas, a população deve fazer a dela. Pelas informações recebidas, percebe-se um aumento e expressivo no número de casos nos últimos dias na cidade.

terça-feira, 07 de julho de 2020

O presidente Jair Bolsonaro foi submetido a um novo exame da Covid-19 nesta segunda-feira (6), após apresentar sintomas da doença provocada pelo novo coronavírus. O próprio presidente confirmou à CNN Brasil. A previsão é de que resultado fique pronto nesta terça-feira (7), até o meio-dia. Bolsonaro apresentou febre de 38ºC e cancelou compromissos por causa da suspeita. Ele foi atendido no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, onde, além de fazer o teste da Covid-19, fez exames de pulmão.

O presidente pode ser considerado como integrante do grupo de pessoas que apresentam risco maior de desenvolver forma grave da doença, por já ter 65 anos. Vários integrantes de sua equipe já apresentaram a doença desde o início da pandemia, mas, até agora, os testes do presidente resultaram negativo. Bolsonaro tem resistido em manter o distanciamento social e costuma aparecer em público, seja aparecendo em manifestações públicas em seu apoio, seja passeando por Brasília nos fins de semana.

segunda-feira, 06 de julho de 2020

Com a experiência de quem foi duas vezes deputado estadual e também por duas vezes exerceu o cargo de prefeito de Garanhuns, Ivo Amaral, muito lúcido nos seus 86 anos bem vividos, conversou com o jornalista e blogueiro ROBERTO ALMEIDA, destacando a importância de um relacionamento entre os governantes municipais, estaduais e federais.

Para Ivo, é fundamental que o prefeito de uma cidade como Garanhuns mantenha boa relação com o governador de Pernambuco. Ele lembra que duas grandes realizações suas no município contaram com apoio decisivo dos governantes estaduais da época. Na primeira gestão, em 1981, quando decidiu construir o Relógio de Flores, teve todo apoio do então governador Marco Maciel. Em 1990, quando levou a Joaquim Francisco a ideia da criação do Festival de Inverno, uma sugestão do jornalista Marcílio Reinaux, o então ocupante do Palácio das Princesas aprovou o projeto e no ano seguinte foi realizado o primeiro FIG.

“Fui prefeito também com Miguel Arraes governador. E mesmo sendo adversários políticos sempre nos respeitamos, toda vez que ia ao Recife era bem recebido por ele. A mesma atenção eu dava a ele quando vinha a Garanhuns”, revelou Amaral. Ivo participa da vida pública do município sempre se portando com muita elegância, sem falar mal de nenhum dos seus antecessores, nem dos que vieram depois dele. “Cada um, mais ou menos, deu e dá sua contribuição à cidade”, frisou.

Reconhecendo que todos deram sua contribuição a Garanhuns, Ivo, no entanto, esclarece que o município teve três grandes prefeitos nos quais procurou se espelhar: Francisco Figueira, que hoje dá nome ao bairro que inclui a Cohab II e diversos loteamentos; Amílcar Valença, que criou a FAGA e construiu o Mercado 18 de Agosto, um marco, na época, e Luís Souto Dourado, responsável pela construção do Centro Cultura.

SIVALDO – Para o ex-prefeito, embora todos os pré-candidatos à prefeitura, este ano, mereçam respeito, o deputado Sivaldo Albino está mais preparado, cheio de energia e de ideias para proporcionar mais desenvolvimento e qualidade de vida ao povo de Garanhuns. “Mesmo ainda moço, tem experiência na vida pública, foi bom vereador e está se revelando um excelente deputado estadual”, observou Amaral, vendo também que o socialista está cercado de bons quadros políticos, tem uma chapa forte de candidatos a vereador e muitos nomes ao seu lado podem depois compor um secretariado de notáveis.

Além disso, salienta Ivo Amaral, Sivaldo é o pré-candidato que tem mais prestígio junto ao governo, podendo conseguir muito na esfera estadual para Garanhuns. “Se ele como parlamentar tem tido ações de peso, notadamente nessa crise da saúde, como prefeito vai conseguir muito mais e possivelmente com ele o município vai viver seu melhor tempo”, enfatizou. Fonte: penews.com.br – Foto da Internet

domingo, 05 de julho de 2020

O Município de Caetés, no Agreste do Estado, atingiu neste domingo (5), a impressionante marca de 97 casos confirmados do novo Coronavírus. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Saúde da cidade e chamou a atenção de todos porque o Município é muito pequeno para a quantidade de casos. Isso demonstra o rápido crescimento da doença na região.

domingo, 05 de julho de 2020

De acordo com o Boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde neste sábado (4), o Município de Iatí no Agreste do Estado, contabiliza 20 (vinte) casos confirmados da COVID-19, desses, (8) oito estão em tratamento, após resultado laboratorial testar positivo, nenhum óbito registrado e 12 (doze) casos recuperados. Em suas redes sociais o prefeito Tonho de Lula demonstrou preocupação e disse que o Município está fazendo a sua parte, mas, a população deve fazer a dela.

102 pessoas estão sob monitoramento com síndrome gripal leve ou que chegaram de viajem. Deste total, 87 já foram concluídos e 15 estão em acompanhamento. É necessário, neste momento, mais atenção e mais cuidados. Quem puder, FIQUE EM CASA! Se sair, USE MÁSCARA!

sábado, 04 de julho de 2020

O servidor do Tribunal de Contas de Pernambuco Marcos Jorge de Barros Cabral morreu, ontem, aos 57 anos, vítima de infarto fulminante. Ele era irmão do deputado federal Danilo Cabral e filho do conselheiro aposentado do TCE-PE, Adalberto Farias. Devido às orientações das autoridades sanitárias por conta da pandemia, o velório e o enterro serão restritos aos familiares. Fonte: Blog do Magno Martins

sábado, 04 de julho de 2020

O PSB ajuizou uma uma ação, com pedido de liminar, no Supremo Tribunal Federal (STF)  para que o Ministério da Cidadania elabore um novo calendário para pagamento do auxílio emergencial e para proibir a cobrança de taxas aos beneficiários que desejem realizar transferência do valor da conta da Caixa Econômica Federal para outras instituições financeiras. A ação foi distribuída para o ministro Celso de Mello. 

“Queremos que garantir que o auxílio para as pessoas em situação de vulnerabilidade por causa da Covid-19 seja pago de acordo com sua natureza emergencial e não seja transformado em um auxílio a prazo”, explicou o deputado federal Danilo Cabral, vice-presidente nacional do PSB. O Ministério da Cidadania, ao regulamentar o pagamento da renda básica emergencial, através da portaria 428/2020, o fez de forma a restringir o acesso das pessoas ao pagamento do auxílio. 

Pelo calendário divulgado pelo governo federal, algumas pessoas podem vir a receber o benefício somente em setembro. “As pessoas estão precisando desse dinheiro de forma urgente. Como vão fazer para sobreviver entre julho e setembro, por exemplo? Chega a ser uma falta de respeito com os brasileiros em situação de risco”, destacou Danilo Cabral.  

O prazo para solicitar o recebimento do benefício pela Caixa Econômica Federal foi encerrado ontem (2), mas ainda existem 10 milhões de pedidos sem respostas. Além disso, há pessoas que receberam apenas a primeira parcela e foram para reanálise do Ministério da Cidadania. Sem falar daquelas que estão cadastradas, mas ainda não sabem quando poderão receber o auxílio. No total, já são mais de 107 milhões de cadastros analisados pelo governo federal, com 64,3 milhões de beneficiados e 43 milhões de pessoas com benefício negado, de acordo com levantamento da Rede Brasileira de Renda Básica.

Danilo Cabral também criticou a iniciativa do Ministério Público de Contas, no Tribunal de Contas da União, que pediu apuração sobre a prorrogação do pagamento do auxílio, promovida pelo Decreto nº 10.412, de 30 de junho de 2020. O MPCO pede para “verificar se a medida não colapsará desnecessariamente o equilíbrio fiscal do país”. Essa prorrogação representará um custos de R$ 101,6 bilhões. Com esse acréscimo, a previsão de custo total do programa passa a ser de R$ 254,2 bilhões.

“Isso nos causa espanto, tendo em vista que completamos 10 semanas consecutivas de alta nos casos de contaminação. Não há evidências científicas que a pandemia está arrefecendo. Diferentemente de paralisar a concessão do benefício, precisamos facilitar o acesso a 10 milhões de brasileiros que estão na fila esperando o reconhecimento do direito. Precisamos ampliar a proteção social”, disse Danilo Cabral. 

A ação judicial faz parte de um conjunto de medidas adotadas pelo PSB e seus parlamentares para assegurar o acesso ao auxílio emergencial. No Legislativo, os deputados federais apresentaram um projeto de lei para estender o pagamento do benefício até dezembro deste ano. O texto foi assinado por 46 parlamentares, inclusive de outros partidos.

sexta-feira, 03 de julho de 2020

Mais um caso confirmado de covid-19 no município de Terezinha. De acordo com o Boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde nesta quinta-feira (2), o Município contabiliza dez casos confirmados de COVID-19, desses, sete estão em tratamento, após resultado laboratorial testar positivo, com um óbito registrado e dois casos recuperados. Seis casos que estavam em investigação testaram negativo. Dois outros novos casos estão em investigação e 19 pessoas que chegaram de viagem estão em monitoramento/isolamento domiciliar, seis delas apresentam sintomas de síndrome gripal.

234 pessoas estão com o monitoramento concluído (período de 14 dias de quarentena): 207 que chegaram de viagem e 27 com síndrome gripal leve já curadas. É necessário, neste momento, mais atenção e mais cuidados. Quem puder, FIQUE EM CASA! Se sair, USE MÁSCARA!

quarta-feira, 01 de julho de 2020

O plenário da Câmara aprovou, nesta quarta-feira (1/7), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2020, que adia para novembro as eleições municipais deste ano, devido à calamidade pública gerada pelo novo coronavírus. Os deputados votaram a matéria em dois turnos e, agora, ela está pronta para ser promulgada. O primeiro turno será em 15 de novembro e o segundo, se necessário, em 29 de novembro. Pelo calendário anterior, as datas seriam 4 e 25 de outubro, primeiro e último domingo do mês, como prevê a Constituição. A maioria dos deputados e senadores concordou que as eleições devem acontecer ainda neste ano e que os mandatos atuais não podem ser prorrogados.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que também preside o Congresso, marcou sessão conjunta remota às 10h desta quinta-feira (2/7) para promulgar a PEC. “Mais uma vez, o entendimento prevaleceu no Parlamento, dialogando com o TSE, a comunidade científica, prefeitos e vereadores”, comemorou, no Twitter. Emendas à Constituição não precisam de sanção presidencial para começar a valer. Para que a PEC fosse aprovada, era necessário o apoio de pelo menos 308 deputados, três quintos dos 513, em duas rodadas de votação. No primeiro turno, 402 votaram a favor e 90 contra. O placar do segundo foi de 407 a 70. O projeto também passou no Senado com ampla aprovação.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também comentou a aprovação no Twitter. “Infelizmente, ainda vivemos um momento muito crítico da pandemia, com seu avanço para o interior do país. A eleição não poderia comprometer as ações que buscam salvar vidas e proteger as famílias”, escreveu. “As novas datas atendem às sugestões de médicos e especialistas”, completou.

Mudança

A Câmara mudou alguns pontos do texto-base, por destaque. A primeira alteração foi para garantir que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) precise da aprovação do Congresso para adiar ainda mais as eleições em alguma cidade, se não houver condições sanitárias para que os eleitores votem na data definida. Os parlamentares precisarão aprovar, por decreto legislativo, as novas datas. O prazo-limite para as eleições em caso de novo adiamento continua sendo 27 de dezembro. O texto anterior permitia que a decisão fosse tomada diretamente pela Justiça Eleitoral, sem participação do Legislativo. Só seria exigido decreto se todos os municípios do mesmo estado não pudessem realizar as eleições em novembro.

Outro destaque aprovado pelo plenário retirou do projeto a permissão para que o TSE adequasse resoluções sobre o processo eleitoral de 2020, que regulamentam as condutas permitidas e vedadas durante as eleições. As regras já aprovadas pela Justiça Eleitoral serão mantidas. A PEC prevê a prorrogação do prazo para o registro de candidaturas, que acabaria em 15 de agosto, para 26 de setembro. Já as convenções partidárias, que aconteceriam entre 20 de julho e 5 de agosto, passam para o período entre 31 de agosto e 16 de setembro. Elas poderão ser feitas de forma virtual.  

Medidas de proteção

Para evitar contágio, o TSE defende que o processo eleitoral seja dividido por horários. Primeiro, votariam os idosos, grupo de risco para a covid-19. Seria uma recomendação, não obrigação dos municípios, para não prejudicar quem precisa ir votar com a família inteira. O TSE também vai fornecer máscaras, álcool em gel e luvas. Como não é possível passar álcool antes da biometria e do voto, a ideia é manter um servidor com luva e jato de álcool na saída. A Justiça Eleitoral deve distribuir cartilhas com as recomendações.

Contrapartidas

Durante as negociações para a aprovação do texto, parte dos deputados condicionou o voto favorável ao avanço de outros projetos relacionados ao tema. Um deles prevê que a ajuda financeira da União a estados e municípios, para recompor perdas arrecadatórias das prefeituras durante a pandemia, dure até dezembro deste ano, não até julho, proposta atual. Parlamentares também propõem a retomada da propaganda partidária gratuita em rádio e televisão, proibida em 2017. A mudança está prevista um projeto de lei do senador Jorginho Mello (PL-SC) que prevê transmissões em blocos de 30 segundos nos intervalos das programações normais das emissoras.

A lei entraria em vigor em 2021 e não valeria para as eleições municipais deste ano. Nesta terça-feira (30/6), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o encaminhamento das matérias não tem nada a ver com a votação do adiamento das eleições.

segunda-feira, 29 de junho de 2020

O Boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) com o detalhamento epidemiológico da Covid-19, nesta segunda-feira (29.06), traz uma marca expressiva: Pernambuco já passou de mais de 40 mil recuperados da doença. Ao todo, são 40.088 pessoas curadas do novo coronavírus. Desse total, 9.191 são de casos graves – aqueles pacientes que passaram por internamento em unidade hospitalar e já receberam alta – e 30.897 casos leves. “São dados que superam a frieza dos números e nos motivam a continuar trabalhando incansavelmente para abrir novos leitos, salvando mais vidas. Até agora, neste que já é o maior esforço sanitário, logístico e de mobilização de recursos humanos da nossa história, já abrimos mais de 1.700 leitos, sendo 776 de UTI”.

O boletim de hoje também aponta que, após 3 meses com taxa de ocupação acima de 80% e atingir pico de 300 pacientes suspeitos aguardando, temporariamente, vaga de terapia intensiva no mês de maio, os leitos de UTI voltados para casos suspeitos e confirmados da Covid-19  em Pernambuco atingiram a ocupação média de 77% – taxa que não era alcançada desde o dia 05 de abril. Desde o início de junho, as solicitações ativas para vagas de UTI de pacientes com a doença têm disponibilização imediata de leito, já que a oferta é maior que a demanda. Ao todo, neste momento, de acordo com dados da Central de Regulação de Leitos, que é responsável pelo encaminhamento de pacientes aos estabelecimentos de saúde vinculados ao SUS, há mais de 200 leitos de UTI vagos na rede e a lista de espera está zerada.

“Esses números confirmam a tendência de estabilização da Covid-19 em Pernambuco, mas também deixam claro que ainda não é o momento de relaxarmos e comemorarmos, além de não podermos nos precipitar. Algumas regiões, como o Agreste, ainda apresentam dados discrepantes e, se houver descuidado, nada impede uma segunda onda de contaminação. Por isso, os pernambucanos têm um papel determinante e precisamos manter distanciamento social, assim como as medidas de higiene, uso de máscara e o maior isolamento social possível”, destacou André Longo.