sábado, 04 de julho de 2020

O PSB ajuizou uma uma ação, com pedido de liminar, no Supremo Tribunal Federal (STF)  para que o Ministério da Cidadania elabore um novo calendário para pagamento do auxílio emergencial e para proibir a cobrança de taxas aos beneficiários que desejem realizar transferência do valor da conta da Caixa Econômica Federal para outras instituições financeiras. A ação foi distribuída para o ministro Celso de Mello. 

“Queremos que garantir que o auxílio para as pessoas em situação de vulnerabilidade por causa da Covid-19 seja pago de acordo com sua natureza emergencial e não seja transformado em um auxílio a prazo”, explicou o deputado federal Danilo Cabral, vice-presidente nacional do PSB. O Ministério da Cidadania, ao regulamentar o pagamento da renda básica emergencial, através da portaria 428/2020, o fez de forma a restringir o acesso das pessoas ao pagamento do auxílio. 

Pelo calendário divulgado pelo governo federal, algumas pessoas podem vir a receber o benefício somente em setembro. “As pessoas estão precisando desse dinheiro de forma urgente. Como vão fazer para sobreviver entre julho e setembro, por exemplo? Chega a ser uma falta de respeito com os brasileiros em situação de risco”, destacou Danilo Cabral.  

O prazo para solicitar o recebimento do benefício pela Caixa Econômica Federal foi encerrado ontem (2), mas ainda existem 10 milhões de pedidos sem respostas. Além disso, há pessoas que receberam apenas a primeira parcela e foram para reanálise do Ministério da Cidadania. Sem falar daquelas que estão cadastradas, mas ainda não sabem quando poderão receber o auxílio. No total, já são mais de 107 milhões de cadastros analisados pelo governo federal, com 64,3 milhões de beneficiados e 43 milhões de pessoas com benefício negado, de acordo com levantamento da Rede Brasileira de Renda Básica.

Danilo Cabral também criticou a iniciativa do Ministério Público de Contas, no Tribunal de Contas da União, que pediu apuração sobre a prorrogação do pagamento do auxílio, promovida pelo Decreto nº 10.412, de 30 de junho de 2020. O MPCO pede para “verificar se a medida não colapsará desnecessariamente o equilíbrio fiscal do país”. Essa prorrogação representará um custos de R$ 101,6 bilhões. Com esse acréscimo, a previsão de custo total do programa passa a ser de R$ 254,2 bilhões.

“Isso nos causa espanto, tendo em vista que completamos 10 semanas consecutivas de alta nos casos de contaminação. Não há evidências científicas que a pandemia está arrefecendo. Diferentemente de paralisar a concessão do benefício, precisamos facilitar o acesso a 10 milhões de brasileiros que estão na fila esperando o reconhecimento do direito. Precisamos ampliar a proteção social”, disse Danilo Cabral. 

A ação judicial faz parte de um conjunto de medidas adotadas pelo PSB e seus parlamentares para assegurar o acesso ao auxílio emergencial. No Legislativo, os deputados federais apresentaram um projeto de lei para estender o pagamento do benefício até dezembro deste ano. O texto foi assinado por 46 parlamentares, inclusive de outros partidos.

sexta-feira, 03 de julho de 2020

Mais um caso confirmado de covid-19 no município de Terezinha. De acordo com o Boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde nesta quinta-feira (2), o Município contabiliza dez casos confirmados de COVID-19, desses, sete estão em tratamento, após resultado laboratorial testar positivo, com um óbito registrado e dois casos recuperados. Seis casos que estavam em investigação testaram negativo. Dois outros novos casos estão em investigação e 19 pessoas que chegaram de viagem estão em monitoramento/isolamento domiciliar, seis delas apresentam sintomas de síndrome gripal.

234 pessoas estão com o monitoramento concluído (período de 14 dias de quarentena): 207 que chegaram de viagem e 27 com síndrome gripal leve já curadas. É necessário, neste momento, mais atenção e mais cuidados. Quem puder, FIQUE EM CASA! Se sair, USE MÁSCARA!

quarta-feira, 01 de julho de 2020

O plenário da Câmara aprovou, nesta quarta-feira (1/7), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2020, que adia para novembro as eleições municipais deste ano, devido à calamidade pública gerada pelo novo coronavírus. Os deputados votaram a matéria em dois turnos e, agora, ela está pronta para ser promulgada. O primeiro turno será em 15 de novembro e o segundo, se necessário, em 29 de novembro. Pelo calendário anterior, as datas seriam 4 e 25 de outubro, primeiro e último domingo do mês, como prevê a Constituição. A maioria dos deputados e senadores concordou que as eleições devem acontecer ainda neste ano e que os mandatos atuais não podem ser prorrogados.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que também preside o Congresso, marcou sessão conjunta remota às 10h desta quinta-feira (2/7) para promulgar a PEC. “Mais uma vez, o entendimento prevaleceu no Parlamento, dialogando com o TSE, a comunidade científica, prefeitos e vereadores”, comemorou, no Twitter. Emendas à Constituição não precisam de sanção presidencial para começar a valer. Para que a PEC fosse aprovada, era necessário o apoio de pelo menos 308 deputados, três quintos dos 513, em duas rodadas de votação. No primeiro turno, 402 votaram a favor e 90 contra. O placar do segundo foi de 407 a 70. O projeto também passou no Senado com ampla aprovação.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também comentou a aprovação no Twitter. “Infelizmente, ainda vivemos um momento muito crítico da pandemia, com seu avanço para o interior do país. A eleição não poderia comprometer as ações que buscam salvar vidas e proteger as famílias”, escreveu. “As novas datas atendem às sugestões de médicos e especialistas”, completou.

Mudança

A Câmara mudou alguns pontos do texto-base, por destaque. A primeira alteração foi para garantir que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) precise da aprovação do Congresso para adiar ainda mais as eleições em alguma cidade, se não houver condições sanitárias para que os eleitores votem na data definida. Os parlamentares precisarão aprovar, por decreto legislativo, as novas datas. O prazo-limite para as eleições em caso de novo adiamento continua sendo 27 de dezembro. O texto anterior permitia que a decisão fosse tomada diretamente pela Justiça Eleitoral, sem participação do Legislativo. Só seria exigido decreto se todos os municípios do mesmo estado não pudessem realizar as eleições em novembro.

Outro destaque aprovado pelo plenário retirou do projeto a permissão para que o TSE adequasse resoluções sobre o processo eleitoral de 2020, que regulamentam as condutas permitidas e vedadas durante as eleições. As regras já aprovadas pela Justiça Eleitoral serão mantidas. A PEC prevê a prorrogação do prazo para o registro de candidaturas, que acabaria em 15 de agosto, para 26 de setembro. Já as convenções partidárias, que aconteceriam entre 20 de julho e 5 de agosto, passam para o período entre 31 de agosto e 16 de setembro. Elas poderão ser feitas de forma virtual.  

Medidas de proteção

Para evitar contágio, o TSE defende que o processo eleitoral seja dividido por horários. Primeiro, votariam os idosos, grupo de risco para a covid-19. Seria uma recomendação, não obrigação dos municípios, para não prejudicar quem precisa ir votar com a família inteira. O TSE também vai fornecer máscaras, álcool em gel e luvas. Como não é possível passar álcool antes da biometria e do voto, a ideia é manter um servidor com luva e jato de álcool na saída. A Justiça Eleitoral deve distribuir cartilhas com as recomendações.

Contrapartidas

Durante as negociações para a aprovação do texto, parte dos deputados condicionou o voto favorável ao avanço de outros projetos relacionados ao tema. Um deles prevê que a ajuda financeira da União a estados e municípios, para recompor perdas arrecadatórias das prefeituras durante a pandemia, dure até dezembro deste ano, não até julho, proposta atual. Parlamentares também propõem a retomada da propaganda partidária gratuita em rádio e televisão, proibida em 2017. A mudança está prevista um projeto de lei do senador Jorginho Mello (PL-SC) que prevê transmissões em blocos de 30 segundos nos intervalos das programações normais das emissoras.

A lei entraria em vigor em 2021 e não valeria para as eleições municipais deste ano. Nesta terça-feira (30/6), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que o encaminhamento das matérias não tem nada a ver com a votação do adiamento das eleições.

segunda-feira, 29 de junho de 2020

O Boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) com o detalhamento epidemiológico da Covid-19, nesta segunda-feira (29.06), traz uma marca expressiva: Pernambuco já passou de mais de 40 mil recuperados da doença. Ao todo, são 40.088 pessoas curadas do novo coronavírus. Desse total, 9.191 são de casos graves – aqueles pacientes que passaram por internamento em unidade hospitalar e já receberam alta – e 30.897 casos leves. “São dados que superam a frieza dos números e nos motivam a continuar trabalhando incansavelmente para abrir novos leitos, salvando mais vidas. Até agora, neste que já é o maior esforço sanitário, logístico e de mobilização de recursos humanos da nossa história, já abrimos mais de 1.700 leitos, sendo 776 de UTI”.

O boletim de hoje também aponta que, após 3 meses com taxa de ocupação acima de 80% e atingir pico de 300 pacientes suspeitos aguardando, temporariamente, vaga de terapia intensiva no mês de maio, os leitos de UTI voltados para casos suspeitos e confirmados da Covid-19  em Pernambuco atingiram a ocupação média de 77% – taxa que não era alcançada desde o dia 05 de abril. Desde o início de junho, as solicitações ativas para vagas de UTI de pacientes com a doença têm disponibilização imediata de leito, já que a oferta é maior que a demanda. Ao todo, neste momento, de acordo com dados da Central de Regulação de Leitos, que é responsável pelo encaminhamento de pacientes aos estabelecimentos de saúde vinculados ao SUS, há mais de 200 leitos de UTI vagos na rede e a lista de espera está zerada.

“Esses números confirmam a tendência de estabilização da Covid-19 em Pernambuco, mas também deixam claro que ainda não é o momento de relaxarmos e comemorarmos, além de não podermos nos precipitar. Algumas regiões, como o Agreste, ainda apresentam dados discrepantes e, se houver descuidado, nada impede uma segunda onda de contaminação. Por isso, os pernambucanos têm um papel determinante e precisamos manter distanciamento social, assim como as medidas de higiene, uso de máscara e o maior isolamento social possível”, destacou André Longo.

domingo, 28 de junho de 2020

Em contato com este blogueiro, o empresário Zelandyo Monte Horebe, pré-candidato a prefeito de Paranatama, explicou que vai explicar todos os detalhes do seu rompimento com o grupo do ex-prefeito Zé Teixeira, fato ocorrido esta semana e que gerou grande repercussão no meio político do Município. A Live acontecerá no Facebook dele no próximo dia 30 de junho, a partir das 20h. O tema do encontro será: O futuro de Paranatama. Vale a pena conferir as explicações do empresário.

domingo, 28 de junho de 2020

Chegou ao fim esta semana, a promissora união política entre o grupo do ex-prefeito Zé Teixeira e o do empresário Zelandyo Monte Horebe. Depois de uma reunião entre os dois, os mesmos decidiram seguir rumos diferentes. A notícia rapidamente se espalhou e gerou uma enorme repercussão no Município de Paranatama e até mesmo no Agreste Meridional. A redação deste Blog entrou em contato com Zelandyo Monte Horebe, mas, ainda não foi respondida sobre os reais motivos da separação.

Já o ex-prefeito Zé Teixeira, gravou um áudio e divulgou nas suas redes sociais, comunicando a todos a sua decisão e os motivos que o levaram a desistir da união. Segundo Teixeira, o seu grupo político tem pré-candidato sim nas eleições que se aproximam, e pelo que ele deixou a entender será a sua esposa, caso ele (Zé Teixeira), não possa ser, fato que Zelandyo não aceitaria. Ele (Zelandyo), só concordaria ser vice, se o candidato fosse Zé Teixeira.

O ex-prefeito disse ainda estar muito triste, porque, pessoas do grupo de Zelandyo estavam com conversas e conchavos com o povo da situação, e segundo ele, traindo a oposição. “Se eu tiver que apoiar alguém, apoio a minha esposa, eu não estou aqui para ganhar eleição apusso não, o povo de Paranatama é quem vai me julgar”, completou Zé Teixeira.

“Hoje eu vou dormir mais sossegado, de que quando eu ia me deitar e ficava preocupado com o que ia dizer a esse grupo, o grupo Teixeira tem candidato para 2020”, finalizou. Com a separação do grupo Zé Teixeira/Zelandyo, o Município poderá ter três candidatos a prefeito, ou seja, o atual gestor Valmir do Leite, Zelandyo Monte Horebe e Zé Teixeira ou sua esposa.

sexta-feira, 26 de junho de 2020

Pernambuco só tem uma cidade livre da Covid-19. Decorridos 103 dias após o primeiro caso no Recife, a atualização do Painel da pandemia mostra que, praticamente, todos os municípios pernambucanos já têm casos confirmados.  Essa conclusão foi possível graças a pesquisa junto aos 12 últimos municípios que ainda não constavam como contaminados nos Informes Epidemiológicos da Secretaria de Saúde de Pernambuco. O mapa da doença é constantemente atualizado pelos pesquisadores do Centro Integrado de Estudos Georreferenciados para a Pesquisa Social (Cieg) da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). O mesmo mostra a situação de cada município do estado e pode ser acessado no site: www.fundaj.gov.br, na aba “Mapeamento da Covid-19 em Pernambuco”.

“Foram necessários exatos 103 dias, pouco mais de 3 meses, desde o surgimento do primeiro caso em Recife, no dia 12 de março, para a pandemia atingir praticamente todos os municípios de Pernambuco, o que ocorreu no dia 22 de junho. As pandemias fazem parte da história da humanidade, sendo responsáveis por importantes mudanças no processo civilizatório, mas nunca sua difusão no território ocorreu de maneira tão veloz”, destacou o pesquisador do Cieg da Fundaj e coordenador responsável pelo Painel, Neison Freire.

Devido a considerável defasagem entre os dados publicados pela SES-PE e os das prefeituras pernambucanas, os pesquisadores resolveram investigar com maior detalhe os casos de Covid-19. Eles mapearam e analisaram a situação específica dos 12 municípios que ainda apareciam como não contaminados nos dados estaduais. Após a elaboração do mapa, procederam para a atualização do número de casos confirmados a partir da verificação nos sites das respectivas prefeituras. Desse levantamento constatou-se que, dos 12 municípios, 10 já tinham casos confirmados. Restavam, portanto, apenas dois municípios não contaminados.

Para esses dois últimos municípios, Manari (21.434 habitantes) e Mirandiba (15.390 habitantes), ambos no sertão do estado, os pesquisadores buscaram informações por telefone junto às respectivas prefeituras e secretarias municipais de saúde nesta segunda-feira (22). Desses contatos, constatou-se, então, que Manari tem casos sob investigação e Mirandiba já apresenta uma morte suspeita pelo Covid-19. Portanto, Manari é o único município, até o momento, sem casos confirmados da Covid-19 em Pernambuco.

A última atualização do mapeamento da Fundaj mostra como a pandemia se disseminou em quase todos os 185 municípios pernambucanos em pouco mais de 3 meses. Os primeiros casos confirmados de Covid-19 em Pernambuco ocorreram no dia 12 março. A partir do dia 17 do mesmo mês, a Fundaj começou a mapear os casos confirmados residentes no estado, com atualização constante desde então. Naquela data o mapa já apontava 16 casos. Esse número subiu para 82 no dia 31 de março, pulou para 6.860 em 30 de abril e subiu novamente para 34.401 no final de maio (31.05). Assim, atingiu 52.025 casos confirmados e 4.234 óbitos, nesta segunda-feira (22).

“Convém registrar que, desde o início desse estudo, os pesquisadores consideraram apenas os casos confirmados que residem no estado, descontando dos informes aqueles oriundos de outros estados e países, além dos que têm origem  ignorada”, afirmou Neison.

Os últimos municípios a serem contaminados pela Covid-19 no estado foram: Belém de Maria, Calçado, Dormentes, Granito, Iati,  Moreilândia, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Filomena, Santa Maria da Boa Vista e Solidão e Mirandiba. Os mesmos possuem populações que variam de 6.007 habitantes (Solidão) até 41.931 habitantes (Santa Maria da Boa Vista). Quando comparados aos demais municípios do estado,todos eles são de alta vulnerabilidade social.  Isso em relação aos indicadores de renda, acesso a água e esgoto, e a inadequação de coleta de lixo domiciliar.

Análise espaço-temporal da pandemia

Analisando o mapeamento temporal do avanço no estado, os pesquisadores concluíram que a pandemia apresentou, até o momento, quatro fases distintas. A primeira delas foi no início da pandemia no estado e se caracterizou por uma difusão do novo coronavírus de forma mais lenta e gradual, localizando-se, principalmente, nos bairros de classes média e alta da capital, “os chamados ‘casos importados’, devido ao fato de que inicialmente foram confirmados casos em passageiros vindos do exterior, especialmente da Itália”, pontuou Neison

A segunda fase, ocorrida entre meados de março e início de abril,  caracterizou-se por uma maior velocidade de difusão do vírus, marcado pelos casos agora chamados de “transmissão comunitária”. Nesse momento, a pandemia atingiu toda a Região Metropolitana do Recife (RMR). A partir da segunda quinzena de abril a pandemia conquistou o agreste do estado e as matas norte e sul, tomando os eixos rodoviários como vetores de transmissão (especialmente as BR-232 e BR-101), caracterizando-se como a terceira fase da pandemia em Pernambuco.

A quarta e última fase observada até o momento se refere ao avanço da pandemia em direção às pequenas e médias cidades do semiárido pernambucano. Nesse aspecto, a Nota Técnica, publicada pelo Cieg no dia 26 de maio, mapeou e analisou as 20 últimas cidades ainda não contaminadas naquela data, a maioria localizada no sertão. Essas cidades se caracterizavam  pelo isolamento geográfico, baixa densidade populacional e adoção de medidas preventivas, tais como: a instalação de barreiras sanitárias nas entradas das cidades e os decretos de isolamento social e fechamento de comércio não essencial e escolas. De fato, estas foram as cidades mais resistentes à pandemia no estado.

Os tempos de disseminação das pandemias

Se a última pandemia antes da Covid-19 (a gripe espanhola) levou pouco mais de um ano para se espalhar por todo o planeta, em Pernambuco, por exemplo, foram necessários apenas 3 meses para o coronavírus atingir todo o estado, numa primeira onda. Isso aconteceu apesar de todas as ações dos governos, tanto estaduais como municipais, para retardar essa difusão.

“Acredita-se que sem essas intervenções, certamente esse tempo teria sido mais curto. Por outro lado, caso as medidas tivessem sido mais rigorosas e a adesão maior, certamente esse tempo de difusão ainda estaria se alongando no estado. Para entender como isso ocorreu de forma tão rápida, torna-se necessário compreender as características gerais de como as pessoas e grupos sociais se relacionam entre si e, também, entre outras cidades e países”, afirmou ainda Neison.

Convém alertar que ainda permanece desconhecido, na pandemia da Covid-19, qual será o seu ápice de casos e óbitos. Bem como, qual a probabilidade de ocorrerem novas e sucessivas ondas de contágio no território e, consequentemente, quais seriam suas intensidades em termos de coeficientes de contágio e letalidade. Portanto, prevenir ainda é necessário e possível.

sexta-feira, 26 de junho de 2020

O governador Paulo Câmara participou de videoconferência, nesta quinta-feira (25.06), juntamente com o secretário estadual de Saúde, André Longo, com o reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Paulo César Fagundes Neves, na qual foi pactuado o envio de 40 respiradores pulmonares e 40 monitores multiparamétricos ao Hospital Universitário da Univasf (HU), localizado em Petrolina, no Sertão do São Francisco. Os equipamentos serão fundamentais para garantir a abertura de novos leitos de terapia intensiva para o tratamento de pacientes com a Covid-19 na região.

Além dos aparelhos, também serão encaminhados ao hospital – uma unidade federal, administrada pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) – 45 mil unidades de equipamentos de proteção individual (EPIs), entre máscaras cirúrgicas, capotes cirúrgicos e luvas de procedimento, para garantir a proteção e segurança dos profissionais de saúde que atuam no atendimento aos pacientes com o novo coronavírus. Os insumos, monitores e ventiladores pulmonares devem chegar a Petrolina até o início da próxima semana.

“Este é um momento em que precisamos unir forças para salvar vidas. Temos atuado, permanentemente, para qualificar a rede de atendimento a todos os pernambucanos que precisam de assistência. Estamos trabalhando para ampliar a oferta de leitos em cada macrorregião de Pernambuco, descentralizando, assim, o número de vagas e disponibilizando leitos por todo o território pernambucano. Temos monitorado diariamente os dados da doença, inclusive sua evolução no interior, e atuado na vigilância dos casos e também para garantir a estrutura necessária na rede de saúde”, afirmou o secretário André Longo.

Até o momento, o Governo de Pernambuco já colocou em atividade 1.730 leitos dedicados à Covid-19, sendo 762 de UTI. Só no interior são 547 leitos, sendo 184 de Terapia Intensiva. Na IV Macrorregião, com sede em Petrolina, são 119 leitos (94 de enfermaria e 25 de UTI). Especificamente naquele município sertanejo são 22 vagas de enfermaria na UPAE e no Hospital Dom Malan. Para atender os pacientes mais graves, foram contratados outros dez leitos de UTI em unidades privadas conveniadas com a SES-PE.

Nos próximos dias, além das vagas de UTI no Hospital Universitário da Univasf, outros dez leitos de terapia intensiva serão abertos na UPAE Petrolina. Também está em andamento processo de contratação de uma Organização Social para gerir o Hospital de Campanha, que está com sua estrutura finalizada e tem previsão de abertura de mais 100 vagas.

O Governo de Pernambuco também está reforçando os leitos em outros municípios do Sertão, como no hospital Santa Maria, em Araripina, que já conta com dez vagas de UTI para Covid-19 e ganhará mais dez nos próximos dias. O Hospital Regional de Ouricuri também vai receber dez novos leitos, que serão somados às nove vagas de enfermaria já existentes na unidade.

quarta-feira, 24 de junho de 2020

Depois de aprovado pelo Senado, o projeto de adiamento das eleições pode ser votado na Câmara Federal nesta quinta-feira (25). Defensor do adiamento das eleições municipais para 2022, com eleição única para presidente, deputados, prefeitos e vereadores, o deputado federal Danilo Cabral (PSB) critica a proposta de adiamento para 15 de novembro. 

“Não temos nenhuma evidência científica que, adiando 30 dias, a pandemia terá cessado. É puro achismo. Se defendemos que o isolamento é o melhor caminho para proteger as pessoas do Covid-19, vamos empurrar 110 milhões de eleitores para o risco de contaminação? É uma irresponsabilidade do ponto de vista da saúde pública”, afirmou Danilo Cabral. 

Pela proposta aprovada no Senado, o primeiro turno da eleição seria realizado no dia 15 de novembro e o segundo, no dia 29 do mesmo mês. O texto aprovado nesta terça-feira (23) foi um substitutivo do senador Weverton (PDT-MA) à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2020. Ele também define o período entre 31 de agosto e 16 de setembro para a realização das convenções para escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações. A apresentação do registro de candidatos pelos partidos à Justiça Eleitoral deve ser feita até 26 de setembro.

Para Danilo Cabral, as eleições deste ano devem ser adiadas para 2022, com a prorrogação do mandato dos atuais prefeitos. Ele destaca que há propostas, em tramitação na Câmara que podem ser analisadas juntamente com a PEC vinda do Senado. “O PSB defende a unificação das eleições do país, acabar com a reeleição e aumentar o tempo de mandato para cinco anos. Agora, podemos analisar a unificação dos mandatos e, posteriormente, tratamos sobre os outros assuntos”, ressalta. 

segunda-feira, 22 de junho de 2020

Morreu nesta segunda-feira (22), no Recife, Ayrton Diógenes, ex-prefeito de Águas Belas.  Ele estava internado na capital pernambucana há mais de 60 dias. Ayrton Diógenes Ivo era tio do deputado estadual Sivaldo Albino (PSB) que publicou a seguinte nota em suas redes sociais:

Amigos e amigas do Agreste, Comunico com pesar o falecimento de meu tio, Ayrton Diógenes Ivo Ubirajara, na manhã desta segunda-feira (22), na capital pernambucana, onde encontrava-se internado há alguns meses. Ex-prefeito de Águas Belas, tio Ayrton deixa uma história de trabalho para seu povo e de muito amor à sua família.

Essa foto foi um momento de muita alegria que passamos juntos, na eleição de 2010.  Tio Ayrton fez questão de reunir familiares e amigos, proporcionando um momento único que guardamos com carinho até hoje. Agradeço por todo ensinamento e carinho. Que Deus o receba com carinho e lhe conceda o descanso merecedor. À minha tia Wilsonita, a meu primo José Aracy (Tota), e a todos os familiares, nossos sinceros sentimentos. Fonte: Blog do Roberto Almeida